Anuncio

B-R-O Bró: Ceará entra em época mais quente do ano

Baixa umidade do ar devido à escassez de chuva no segundo semestre do ano explica a maior "quentura" sentida pelos cearenses de setembro a dezembro


Foto: Fábio Lima

O cearense já está acostumado a conviver com o calor, mas a “quentura”, aquele "calor medonho", aumenta entre os meses de setembro e dezembro. É o chamado “B-R-O-Bró”, conhecido no Ceará por ser, historicamente, o período mais quente do ano. A explicação está na baixa umidade do ar devido à escassez de chuva.

Nessa época, os ventos mais intensos acabam ajudando a reduzir o desconforto do calor, conforme Meiry Sakamoto, gerente de meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

“Os ventos são afetados pela topografia, então, próximo ao Litoral, a velocidade tende a ser mais elevada do que no Interior do Estado. No final do ano, com o início das primeiras chuvas, a temperatura se torna um pouco mais amena”, completa. A pré-estação chuvosa cearense vai de dezembro a janeiro, enquanto a quadra chuvosa compreende os meses de fevereiro a maio.

Segundo a especialista, é a proximidade da linha do Equador que justifica por que as temperaturas no Ceará costumam ser altas o ano todo. Porém, as temperaturas médias mais altas, de fato, são observadas nos meses B-R-O Bró, quando a estiagem predomina.

O céu claro ou com poucas nuvens é característico nesses meses. Nos horários mais quentes do dia, a umidade cai, o que é mais sentido no Interior. Em Tauá, por exemplo, a umidade média mensal de 76% em abril cai para 42% em setembro. “Em Fortaleza, a proximidade do mar faz com que os valores não sejam tão baixos, sendo que a média é de 71%”, acrescenta Meiry.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica os níveis de umidade relativa do ar nas seguintes proporções: estado de observação: 40% a 31%; estado de atenção: de 30% a 21% e estado de alerta: de 20% a 12%.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e da Funceme, entre agosto e setembro, as normais climatológicas das temperaturas máximas médias variam em cerca de 1ºC.

Sobral e Crateús apresentam as maiores médias de temperaturas máximas de setembro entre os municípios monitorados, de 36,4 e 35,5°C, respectivamente. As médias se referem a valores mensais e históricos, diferente dos dados diários e pontuais, que podem ser acima ou abaixo. A temperatura máxima é aquela normalmente registrada por volta das 14 horas.

Em outubro, as temperaturas máximas médias costumam aumentar ligeiramente. Na Capital, por exemplo, a normal climatológica em setembro é de 31°C, aumentando para 31,2°C no próximo mês. Já em Guaramiranga, a temperatura é de 26,5 °C em novembro e fica 27,1°C em outubro e novembro.

No Ceará, as regiões de serras e próximas ao litoral tendem a apresentar temperaturas mais amenas. “Por isso, municípios como Sobral, Crateús, Tauá e outros municípios do interior apresentam as temperaturas máximas mais elevadas quando comparadas a Fortaleza ou Guaramiranga, por exemplo”, analisa Meiry.

O Povo

Postar um comentário

0 Comentários