Anuncio

Camilo cobra mais doses de AstraZeneca; Ministério alega que Estado utilizou 2ª dose para aplicar D1

Governador falou nas redes sociais que tem cobrado do Ministério envio de mais doses

                Foto: Fabiane de Paula

O governador Camilo Santana (PT) foi às redes sociais nesta terça-feira (26) para dizer que ligou para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para cobrar o envio de mais doses da AstraZeneca contra a Covid-19, considerando o atraso no envio de lotes da vacina e, consequentemente, na aplicação da segunda dose (D2). 

“Conversei por telefone há pouco com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e com o ministro substituto, Rodrigo Cruz, sobre o envio de mais vacinas AstraZeneca para o Ceará, de forma a garantir a segunda dose dos cearenses. Nossa Secretaria da Saúde já havia enviado ofício ao Ministério ontem e reforcei a urgência dessa solicitação. O ministro garantiu empenho na solução”, informou o governador.

O Ministério da Saúde, em nota, disse ter concluído o envio de todas as doses de AstraZeneca necessárias para completar o esquema vacinal da população adulta brasileira. Contudo, segundo dados do LocalizaSUS, inseridos pelo Ceará, o Estado aplicou como primeira dose (D1) cerca de 72 mil que haviam sido destinadas pelo Governo Federal para a D2.

Se novas doses não chegarem, pelo menos 40,5 mil cearenses podem ser impactados por esse imbróglio, considerando quem deveria receber a segunda dose entre domingo (24) e o próximo sábado (30) por ter recebido a primeira entre 26 de julho e 1º de agosto, conforme levantamento feito pelo Diário do Nordeste.

FIOCRUZ ENTREGA MAIS DOSES

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, responsável pela produção de AstraZeneca no Brasil, informou que entrega nesta terça ao Ministério da Saúde 4,5 milhões de doses da vacina para distribuição pelo Plano Nacional de Imunizações (PNI).

"Há também previsão de liberação de novas doses até o fim da semana", afirmou, em nota, a fundação. Porém, ainda não se sabe quando essas doses vão chegar aos estados.

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informou que ainda não há sinalização pelo Ministério sobre envio de novas remessas para esta semana.





Fonte: Reprodução Diário do Nordeste



Postar um comentário

0 Comentários