Anuncio

Enem 2021: saiba o que ainda dá para estudar faltando 1 mês para a prova

Estudantes de todo Brasil farão a prova do Enem nos dias 21 e e 28 de novembro deste ano; faltando um mês para a prova, estudantes e professores compartilham dicas de estudo

     Foto: Marcello Casal Junior/Agência Brasil

Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma das principais formas de ingresso nas universidades brasileiras. A prova, que aborda todas as disciplinas estudadas no ensino médio, tem como objetivo avaliar o desempenho dos alunos concluintes desse nível de escolaridade, mas qualquer pessoa pode realizar o exame.

O Enem 2021 será aplicado em dois fins de semana distintos: nos dias 21 e 28 de novembro. Serão dois cadernos, cada um contendo duas áreas do conhecimento com 45 questões cada (ao todo, 90 questões), além de uma redação.

Daqui a um mês, no dia 21 de novembro, será realizada a primeira prova do Enem 2021, o caderno de Linguagens e Códigos, Ciências Humanas e Redação. Nesse clima de reta final, O POVO conversou com professores e alunos para saber dicas sobre a melhor rotina de estudo a seguir e os principais assuntos abordados para estudar e obter um bom desempenho na prova.

O professor de Língua Portuguesa Bruno Maia aconselha que, nesses dias que antecedem a prova, o estudante procure manter a calma, pois a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias contempla, sobretudo, interpretação de textos. “Interpretação textual é algo que não trabalha em parceria com aceleração. A tranquilidade é necessária para que o aluno possa ler o texto e não deixar que certas informações passem despercebidas”, explica.

Bruno cita alguns dos assuntos que podem ser estudados durante a reta final, como gêneros textuais, figuras de linguagem, funções da linguagem e vanguardas europeias.

De acordo com levantamento do Sistema Poliedro, o tema mais frequente na prova de Português é o de Tendências Contemporâneas, que representa 25% das questões. Abaixo estão dispostos os temas mais recorrentes:

Português

Estrutura e formação de palavras (21,4%)

Preceitos básicos dos estudos literários (17,9%)

Pontuação (10,7%)

Verbo (7,1%)

Modernismo no Brasil: primeira geração (7,1%)

Classes de palavras (3,6%)

Origens do realismo e realismo machadiano (3,6%)

Pré-modernismo (3,6%)

Interpretação de Texto

Tipos de texto (16,6%)

Funções da linguagem (11,7%)

Categorias de mundo (11%)

Intertextualidade (7,6%)

Narratividade (6,2%)

Variação linguística (4,8%)

Figuras de linguagem ligadas ao aspecto semântico (2,8%)

Expressão (2,1%)

Ambiguidade e semântica (2,1%)

Figuras de linguagem (1,4%)

Coerência e concisão (1,3%)

Artes

Elementos básicos de artes plásticas (11,1%)

Vanguardas europeias (11,1%)

Elementos básicos da música (5,6%)

Música no século XX (5,6%)

Artes nos séculos XV e XVI (5,6%)

Educação Física

Esportes adaptados (22,3%)

Esporte e espetáculo (22,2%)

Cuidados com a saúde (22,2%)

Inglês e Espanhol

Interpretação de texto (100%)

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Na prova de Ciências Humanas são cobrados assuntos referentes a quatro disciplinas: História, Geografia, Filosofia e Sociologia. Com muita interpretação de textos e imagens, a segunda seção do primeiro caderno do exame requer leitura atenta e conhecimento sobre a sociedade brasileira.

LEIA MAIS| Enem 2021: veja dez filmes para estudar História para a prova

Abaixo estão dispostos alguns dos conteúdos mais cobrados em cada disciplina:

Geografia

Geografia física

Questões ambientais

População

Questão urbana

Geografia agrária

Filosofia

Filosofia clássica

Filósofos pré-socráticos

Filosofia política

Racionalismo

Sociologia

Cultura e seus subtemas

Cultura brasileira

Teoria sociológica

Mundo do trabalho

História

Movimentos sociais

Era Vargas

Primeira república

Imperialismo (Ásia e África)

Descolonização (Ásia e África)

Rotina de estudos

A rotina de estudos do terceiranista André Távora, 18, está centrada em responder questões. “À essa altura do campeonato, muitos estudantes optam por revisar do que iniciar novas matérias. Eu acredito que seja possível conciliar os dois, porém, é importante ter consciência do tempo disponível que você tem até o exame e priorizar o que, de fato, você precisa e tem tempo de ver ou rever para a prova”, diz ele.

Para André, focar em responder questões de assuntos em que ele possui mais dificuldade vem como prioridade número dois em sua rotina corrida, já que a número um é a sua saúde mental. Apesar das inseguranças que permeiam as mentes dos estudantes nesta época, ele ressalta que é “essencial cuidar bem da sua saúde mental antes e durante a prova, pois um psicológico estável ou a falta dele pode ser o determinante para o seu desempenho na avaliação”.

O estudante Nicholas Matias, de 17 anos, tem se dividido entre estudar para concursos e para o Enem e, por conta disso, tenta sempre utilizar provas antigas do exame para estudar em casa. “Quando surge uma dúvida, eu volto no material de revisão ou até em uma videoaula no YouTube para saber”, conta.

Temida por muitos, a redação para Nicholas também faz parte de sua rotina ao menos uma vez por semana. Ele aperfeiçoa a sua escrita e corrige seus erros ao receber suas redações corrigidas.










Fonte: Reprodução Jornal O Povo



Postar um comentário

0 Comentários