Anuncio

Tiago Nunes destrincha aspecto tático do Ceará e analisa vitória diante do Fluminense: “emblemática”

A vitória diante do Fluminense quebrou uma sequência de sete partidas sem vitórias do Ceará na Série A do Campeonato Brasileiro

     

                       Foto: Kid Júnior/SVM

A vitória do Ceará diante do Fluminense neste domingo (31) quebrou uma sequência de sete partidas sem vitórias do Alvinegro de Porangabuçu na Série A do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva pós-jogo, o técnico Tiago Nunes analisou a partida, ressaltando a inspiração do grupo, além de pontuar a emblemática conquista dos três pontos.

“Foi um jogo dividido em dois momentos, até o lance da expulsão e depois. É o tipo de vitória que ela se torna emblemática, porque ela demonstra que uma equipe que não desiste, uma equipe que acredita, que luta até o final, mesmo pelas circunstâncias adversas, ela pode inspirar muita gente a acreditar também. A própria inspiração que nós passamos de dentro do campo para fora e a recíproca que veio das arquibancadas fez com que construíssemos um resultado grandioso, um placar apertado, mas grandioso, que nos coloca em uma condição muito melhor de tabela. Abrimos uma margem de seis pontos do Z4 e nos aproximamos da parte de cima, da zona da Pré-Libertadores. No meu ponto de vista, voltamos definitivamente para o campeonato.”

O comandante gaúcho destrinchou ainda o aspecto tático do Ceará na partida. O principal objetivo era conter a velocidade do adversário. Entretanto, após a expulsão de Gabriel Dias, a postura precisou mudar. A entrega, a consciência tática e o “jogo de coração” foram os principais pontos destacados pelo técnico alvinegro.

“A ideia principal pensando no aspecto tático foi tirar a velocidade do Fluminense. Compactamos nossa equipe um pouco mais atrás, entregamos a posse de bola para eles. Eles tiveram muita circulação de bola, mas nós fizemos algumas variações, fazendo um bom preenchimento da nossa área defensiva, muitas vezes com uma linha de cinco jogadores, com os nossos pontas se alternando. No momento que o Fluminense colocou dois centroavantes, fiz questão de colocar mais um zagueiro e nós equilibramos três para dois dentro da área, mais os dois laterais formando a linha de cinco, três jogadores, sendo dois de mais contenção e um de contra-ataque, e um jogador mais solto no ataque. A grande parte do tempo fomos soberanos na grande área, defendemos muito bem, passamos um cadeado na frente da nossa área. Foi um jogo de muita entrega, de muita consciência tática e, principalmente, de coração.”

Completando dois meses à frente do Ceará nesta segunda-feira (1°), Tiago Nunes elogiou o presidente Robinson de Castro e o clube, além de comentar o projeto do Alvinegro de Porangabuçu, pontuando sempre a margem de crescimento da equipe.

“O futebol faz a gente pensar que está há muito mais tempo. Foram só 60 dias, mas parece que já foi um ano, pela tamanha intensidade que vivemos. O número de viagens, de jogos, a necessidade eminente de estar sempre competindo. O que eu posso falar é que eu encontrei um clube com pessoas altamente capazes, um clube recheado de qualidade técnica e com um potencial de desenvolvimento muito grande. Lógico que o âncora, o carro-chefe disso tudo, é o nosso presidente Robinson de Castro, que precisa ser altamente elogiado, porque ele faz um clube saudável financeiramente, ele consegue manter o clube com as contas em dia, está investindo em estrutura física. Essas melhorias que aparecem nesse momento, que muitas das vezes não dão fruto imediato, tem que ser valorizadas. Vim para fazer parte desse processo. Vi no Ceará muita margem de crescimento, via um grupo capaz e competitivo, e que precisa parar de pensar pequeno. Pensar em ganhar, não pode mais pensar só em empatar e em ficar defendendo os 90 minutos. Tem que pensar em ganhar, em competir de igual para a igual com todo mundo. É um processo a longo prazo, onde eu vim dar minha contribuição.”




Fonte: Reprodução Diário do Nordeste



Postar um comentário

0 Comentários