Anuncio

Guarda Municipal e tesoureiro do PT é assassinado na própria festa de aniversário, em Foz do Iguaçu

A vítima foi baleada por um policial Penal Federal que entrou na comemoração e atirou. O servidor reagiu e também baleou o atirador. A Polícia confirmou que ambos morreram.

Imagem: Reprodução/ Redes Sociais 

O guarda municipal e tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), Marcelo Aloizio de Arruda, foi assassinado na madrugada deste domingo (10) enquanto celebrava seu aniversário em Foz do Iguaçu, cidade no oeste do Paraná. O agente tinha 50 anos e foi baleado em sua própria festa que tinha como tema o PT. 

O servidor foi levado ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos. Ele deixa esposa e quatro filhos.
Na ocorrência, Marcelo chegou a balear o autor dos disparos após ter sido atingido. Testemunhas dizem que o atirador não era conhecido dos participantes da festa. 
A Polícia Civil informou que o homem que atirou contra Marcelo é o policial Penal Federal Jorge Jose da Rocha Guaranho, que também morreu. A Delegacia de Homicídios de Foz do Iguaçu está apurando o caso. 
Segundo o G1, o secretário de Segurança Pública de Foz do Iguaçu, Marcos Antonio Jahnke, lamentou a morte e afirmou que a Polícia Civil investigará as motivações do crime. De acordo com ele, há suspeitas de intolerância política. 

GUARDA MUNICIPAL HA 28 ANOS
A Prefeitura de Foz do Iguaçu, em nota, disse expressar “o mais profundo pesar pelo falecimento do guarda municipal”. O servidor público era da primeira turma da Guarda Municipal e estava na corporação há 28 anos. 
Marcelo também pertencia ao Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu (Sismufi). 
"Agradecemos ao Marcelo Arruda por toda a sua dedicação e comprometimento com o Município, o qual nestes 28 anos de funcionalismo público defendeu bravamente, tanto atuando na segurança como na defesa dos servidores municipais", expressou o prefeito Chico Brasileiro. 

"Desejamos à família, aos amigos e colegas de Marcelo força neste momento de dor", complementou. O velório do servidor será neste domingo no Cemitério Municipal Jardim São Paulo, em horário ainda a definir. 

LULA E PT LAMENTAM OCORRÊNCIA
Em nota, o PT lamentou a ocorrência e a classificou Marcelo como "uma vítima da intolerância, do ódio e da violência política". O partido diz que em plena celebração de seu aniversário, Marcelo foi assassinado "por um bolsonarista que, pouco antes, havia interrompido a festa e ameaçado de armas na mão a todos os presentes". 

Marcelo já foi candidato do PT a vice-prefeito em Foz do Iguaçu nas eleições de 2020. 
Conforme a nota, "nas últimas imagens de sua vida, gravadas no momento em que cantavam o parabéns, registram sua alegria de viver, seu entusiasmo com a militância, seu compromisso de vida com o PT e o presidente Lula".

O partido reforça que "Cobramos das autoridades de segurança pública medidas efetivas de prevenção e combate à violência política, e alertamos ao Tribunal Superior Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal para que coíbam firmemente toda e qualquer situação que alimente um clima de disputa violenta fora dos marcos da democracia e da civilidade". 

O ex-presidente Lula, no Twitter, também manifestou solidariedade aos familiares de Marcelo. Lula disse que "Uma pessoa, por intolerância, ameaçou e depois atirou nele, que se defendeu e evitou uma tragédia maior". 
Lula reforçou que "precisamos de democracia, diálogo, tolerância e paz".
A presidente do PT também se manifestou sobre o caso. No Twitter falou que a tragédia é "fruto da intolerância dessa turma (bolsonaristas)". 

Reprodução: Diário do Nordeste


Postar um comentário

0 Comentários